Páginas

terça-feira, 21 de abril de 2015

Mulher Macho ou Macho Mulher?

                Ultimamente um dos temas abordados nos noticiários é o abusos sexual. Alguns dos alegados abusos são referentes a menores, sendo que estes consentem em ter relações com os ditos maiores de idade. Quando um ato sexual é consentido entre um casal em que um seja menor de idade não passem a denominar isso de abuso sexual. Um dos pontos que ouvi sobre um caso deste género entre uma professora e um rapaz de 14 anos que nem aluno dela era, é que ele não tinha ainda pensamento para tal, e como tal a professora é acusada de abuso sexual face ao rapaz com quem mantinha uma relação. 

                Compreendo o ponto de vista falado nesse caso, mas não o considero um argumento que posso ser totalmente plausível, visto que ambos mantinham uma relação não podem afirmar que ele não quis praticar, e foi obrigado a tal por parte da professora. Então chegamos ao ponto que achei curioso partilhar de comentadores policiais referente a este caso. 

                O rapaz foi vítima da professora, sendo que este na tenra idade se deixou levar pelo lado que um machista toma em conta nas mulheres, ou ela é que foi vítima do rapaz, tendo este preparado tudo este esquema para iniciar a praticar sexual? Tudo é suspeito quando o termo macho se envolve em questões jurídicas, vendo o caso mudar o rumo por completo. Concluindo segundo este caso, macho é aquele que faz de tudo para fazer sexo e gabar-se disso, e um não macho é aquele que mantém uma relação com alguém e pratica sexo com ambos a consentirem tal. 


2 comentários:

João disse...

"Quando um ato sexual é consentido entre um casal em que um seja menor de idade não passem a denominar isso de abuso sexual. Um dos pontos que ouvi sobre um caso deste género entre uma professora e um rapaz de 14 anos que nem aluno dela era, é que ele não tinha ainda pensamento para tal, e como tal a professora é acusada de abuso sexual face ao rapaz com quem mantinha uma relação." - Ora bolas não me venham atirar areia para os olhos. Antigamente acredito que sim, mas hoje em dia, com miúdos de dez anos e até mais novos a explorarem a sua sexualidade cada vez de forma mais consciente e aberta, não percebo tanta treta moral. Há na minha opinião muita confusão entre as coisas. Como tu disseste e muito bem, quando existir consentimento entre ambas as partes, não se pode falar em abuso. Legalmente ou judicialmente falando, será crime, havendo uma determinada diferença de idades entre as duas pessoas, no caso de uma destas ser menor. Se não estou em erro o limite é até 4 anos de diferença. Trata-se de uma questão pertinente. O rapaz podia nutrir um carinho, um afecto pela professora. Eu quando tinha a idade dele, também estive apaixonado por professoras e tinha um relacionamento mais especial com elas - nada que ultrapassasse a barreira que separa aluno e professor, mas ainda assim, podia conversar com elas, saía com elas e até ia a casa delas nas férias do Verão. Na altura tornaram-se amigas de família.

Claro que também pode existir esse aspecto mencionado de haver interesse sexual por parte da professora, mas por aquilo que tenho acompanhado nas notícias o que se passa é que esta docente é uma professora dedicada aos alunos e que gosta de os estimular e a darem o seu melhor. Era assim com todos os alunos, sem excepção. Dizem que passava mais tempo com este rapaz, mas isso não quer dizer nada. Ele podia simplesmente ter nela a sua maior confidente e precisar de desabafar sobre os seus problemas.

João disse...

Em relação aos abusos em outra instituição, não sei pormenores, ainda. Sei que tem a ver com uma psicóloga e directora de uma santa casa que acolhia jovens de risco, rapazes até aos 18 anos e também ela está acusada de maus tratos e de abuso sexual.

Um dos problemas da sociedade de hoje em dia é que tudo é posto em causa. Toda a gente tem direito sobre tudo e nascem assim falsas acusações e escândalos a torto e a direito. Preocupa-me que este seja um caso real.