Páginas

terça-feira, 8 de outubro de 2013

SINTO-ME COMO FERNANDO PESSOA

 Apenas sei que nada sei, apenas sei que nada sou. Sinto-me invadido por inconsciência e incerteza. a dúvida paira em mim. Dentro de mim sinto o desassossego da identidade perdida no passado que jamais voltará. 


 Perdido na ilusão, refugiado no sonho, vivendo na solidão. Forças passadas estranhas memórias guardam, esperança tentam prender e devastação traçar.



3 comentários:

um simples rapaz disse...

Muito poeta!!! está muito giro!!!

Diana Filipa Fonseca disse...

Todos os dias devemos encontrar-nos!

D. Santos disse...

Ah, quantas vezes me já senti assim...