Páginas

terça-feira, 24 de setembro de 2013

LIKE A MOON

Sou a Lua no seu estado mais inocente. Sou visível quando a luz me invade e a escuridão me enche por dentro. A luz em mim não faz brilhar a minha verdadeira face, apenas esconde o que realmente sinto, o que realmente acredito. A minha escuridão apenas traz consigo a mágoa, a verdadeira verdade acerca de mim. A face que poucos conseguem alcançar. Outros tentam tudo para lá chegar, e muitos perdem-se pelo caminho, pelo vazio que se encontra no seu percurso.

2 comentários:

Diana Filipa Fonseca disse...

A lua guia aqueles que são puros ao ponto de a seguir!

D. Santos disse...

Só tenho a dizer que é um texto fantástico! ;)
Btw, não consigo ver a imagem que colocaste.